Conversas


- Olá
- Olá :)
- Está tudo bem contigo?
- Está tudo bom e contigo?
- Vai-se. Viste o meu post? Já lá pus um fresquinho.
- Já.Tens lá alguns erros.

- Foi feito à pressa.

- Sim. Mas mesmo que fizesses com corretor aqueles erros não eram detectados... "já limpas-te; já lavas-te" é sempre tudo junto como o "fizeste", percebes? Não podes nunca dizer fizes-te...
- Eu depois vejo isso.

-Vomo sandama correr a scoisas porí?

- o quê?

- o wuê, o wuê?

- Hã?

- que doi?

- Nada, mulher! Não me doi nada. Não percebo é patavina do que disseste?

- +era! Vo ureler!
- LOL, pus letras ao lado e dei espaço errados...LOL...mas só não percebeste porque não quiseste!!!
-Pois é pois é!

- Foi.

- Foi o quê?
- Pois foi (era o que devias ter dito)

- FUI!

- FOI! FOI! Não é Fui! É foi!
-Alllloooooo - Allllooooo...."*** acaba de enviar um toque" - Ahhhhh....foste? Ok, então o fui estava bem posto!

Nota: Só para o "borda-d'água" funcionar ;)
.

As férias

Quem vai uma semaninha de férias quem vai? Eu, pois claro!
Quem é que já se anda a borrar todo com isto, quem é? O gajix, claro!
Quem espera não passar a semaninha de férias de cama ou à beira dela, quem é? o gajix e eu!

Já sei, já sei...as melhoras não é? Pois é. Obrigada.


Tomem lá este beijo:

Diário de uma condutora loira

Querido Diário

8 de Janeiro.Passei no exame de condução! Posso agora conduzir o meu próprio automóvel, sem ter de ouvir as recomendações dos instrutores, sempre a dizerem-me “por ai é sentido proibido!” ”Vamos em contra mão!”, “Olha a velhinha! “Trava! Trava!”, e outras coisas do género. Nem sei como aguentei estes últimos dois anos e meio…

12 Janeiro.A Escola de Condução fez-me uma festa de despedida. Os instrutores nem querem dar aulas. Um deles disse que ia à missa, julgo que vi outro com lágrimas nos olhos e todos disseram que iam embebedar-se, para comemorar. Achei simpática a despedida, mas penso que a minha carta não merecia tal exagero.

14 Janeiro.Comprei carro, infelizmente tive que deixar o carro no concessionário, para substituir o pára-choques traseiro, pois quando tentei sair, meti marcha-atrás em vez da primeira. Deve ser falta de prática.
Há uma semana que não conduzo!

22 de Janeiro. Já tenho o carro. Fiquei tão feliz ao sair do “Stand”, que resolvi dar um passeio. Parece que muitos outros tiveram a mesma ideia, pois fui seguida por inúmeros automóveis, todos a buzinar como num casamento..
Para não parecer antipática, entrei na brincadeira e reduzi a velocidade de 10 para 5 à Hora. Os outros gostaram buzinando ainda mais.

31 de Janeiro.Os meus vizinhos são impecáveis. Colocaram posters avisando em grandes letras: “ATENÇÃO ÀS MANOBRAS “, marcaram com tinta branca um lugar bem espaçoso para eu estacionar e proibiram os filhos de sair a rua enquanto durassem as manobras. Penso que é tudo para não me perturbarem. Ainda há gente boa neste mundo…

10 de Fevereiro.Os outros automobilistas estão sempre a buzinar e acenar-me. Acho isso simpático, embora um pouco perigoso. É que um deles apontou para o céu com o dedo espetado. Quando procurei ver o que me apontava, quase que bati. Valeu que eu ia a minha velocidade de cruzeiro de 10 à Hora.

19 de Fevereiro. Os outros automobilistas tem hábitos estranhos. Para além de acenarem muito, estão sempre a gritar. Não os ouço, por ter os vidros fechados, mas julgo que me querem dar informações. Digo isto porque julgo ter percebido um a dizer “Vai para Casa “. A ser verdade, é espantoso. Não sei como ele adivinhou para onde eu ia. De qualquer modo, quando eu descobrir onde fica o botão de abrir os vidros vou tirar muitas dúvidas.

26 de Fevereiro. A Cidade é muito mal iluminada. Fiz hoje a minha 1ª condução nocturna e tive de andar sempre nos máximos, para ver convenientemente. Todos os automobilistas com quem me cruzei pareciam concordar comigo, pois também ligaram os máximos e alguns chegaram mesmo a acender outros faróis que tinham. Só não percebi a razão das buzinadelas. Talvez para espantar qualquer cão ou gato. Sei lá…

3 de Março. Hoje tive um acidente… Entrei numa rotunda, e como havia muitos automóveis (não quero exagerar, mas deviam ser, no mínimo, uns quatro), não consegui sair. Fui dando voltas bem juntinho ao centro, à espera de uma oportunidade, de tal forma que acabei por ficar tonta e fui chocar com o monumento ao centro da rotunda. Acho que deviam limitar a circulação nas rotundas a um carro de cada vez.

15 de Março. Estou em maré de azar. Fui buscar o carro à oficina e, logo a saída troquei os pés, acelerando a fundo em vez de travar. Abalroei um carro que ia a passar, amassando-lhe todo o lado direito. O automobilista era, por coincidência, o engenheiro que me fez o exame de condução. Um bom homem, sem duvida. Insisti em dizer-lhe que a culpa era minha, mas ele educadamente, não parava de repetir: “Que Deus me perdoe! Que Deus me perdoe!”.

As pálpebras


Agora depois do almoço os olhos ficaram pesados.
As pálpebras tocaram-se e só a custo deixaram a íris ver as cores.
Todo o corpo está em estado de alerta e pronto a funcionar com excepção das pálpebras estas recusam-se a manterem-se abertas.

O lado esquerdo da cabeça já está a ficar indignado com tamanha petulância por parte das pálpebras e já começou a pender. As mãos já foram ao rosto para ajudar os olhos a manterem a sua independência e prenderam por breves momentos as pálpebras.

O lado direito do cabeça está céptico. Não acredita de todo que uma breve esfregadela das mãos nos olhos possam determinar o fim da pequena rebelião mantida pelas pestanudas. Por isso as mãos passaram pelo pescoço para que o lado esquerdo da cabeça não pendesse muito.

Os olhos, esses, estão a pensar em esbugalhar-se mas, acto contíguo, o ar seca quase instantemente o globo e as mãos vão em socorro, esfregando e empurrando-os para o seu nicho.

A cabeça, tanto o lado esquerdo como o direito, toma uma resolução...cabeça debaixo de água. O estômago reclama: - Nahhhhhh...e a digestão, meus amigos, como é que é? Veja, lá se as pálpebras levam a sua avante e acabam por se fechar definitivamente.

A cabeça concorda e pede às mãos para largaram os olhos e lavarem a cara...faz-se chloc chloc...e as pálpebras de tão retesadas não se esticarão para fechar...

Vamos a isso!
!

Reticências...


Sou uma pessoa de muitas reticências...não há aqui novidade nenhuma para quem me acompanha já há algum tempo.
Dou assim a conhecer uma parte da minha personalidade pela pontuação que ofereço na minha escrita.
Entrando num campo em que um ponto de interrogação faria todo e qualquer sentido posso interpretar que poderei ser uma pessoa indecisa?
Ou apenas que gosto de criar alguma forma de informar que aquela frase pode continuar por outros raciocínios até chegar a um tipo de pontuação definida?

Eu gosto de pontos finais, é um facto! E este ponto de exclamação vem estabelecer a minha certeza absoluta nesta afirmação (às vezes dizem que sou mandona mas eu não acho. Posso muitas vezes ficar surpreendida e daí disfarço e faço afirmações como se soubesse de que cor era o céu mas não sei é só mesmo para não pensarem que o podem pintar de outra cor) embora tenha que recorrer a um parêntesis para explicar melhor o seu uso ocasional.

Gosto principalmente de pontos finais parágrafo. Gosto. Destes gosto. Para mudanças de assunto ou para desenvolver assuntos, entre virgulas, onde poderão também constar algumas "citações".
Quando falo gosto do meu travessãozito entre espaços mas não aprecio, de forma relevante, o ponto e virgula. Dá jeito, uma vez que que sou grande apreciadora de listas mas chegando aos dois pontos acho que o ponto e virgula torna-se maçudo, singularizando e afastando itens uns dos outros.

Agora...nas reticências...perco-me! Tento passar a imagem de que sou uma pessoa interessante...de que há mais qualquer coisa a dizer...de que o assunto não está terminado por ali...e que se pensarem bem nas palavras que lancei antes...pode estar uma outra ideia por debaixo do óbvio...

No fundo talvez não passe de uma pessoa que não consegue acabar uma frase...ou uma ideia...posso ter receio de chegar a um conceito mais definido...martelando noutras das pontuações para o efeito...porque assim teria que tomar uma posição cativa...e não ficar à espera...do resto da frase... para resumir uma vida!
!

Obesidade na pré-história

video

Eu ultimamente tenho bebido muita cola...acho que está na altura de parar...não quero ser comida por um raptor...huummmm...se bem que...por outro lado...huummmm...

Fracking good


Tenho uma tendência para avaliar as pessoas (do género masculino) com base na sua inteligência.
Ou pelos menos dentro daquilo que considero como os meus padrões de inteligência seja lá o que isso quer dizer.
Apesar de me sentir sempre intimidada por qualquer pessoa que eu considero possuir essa qualidade o facto é que tento sempre fazer uma aproximação.
Quando finalmente estou lá a conversa flui sempre em sentido pratico e com bastante banalidade, recheada essencialmente de muita parvoíce e brincadeiras completamente idiotas até que...começo a espevitar a perspicácia do outro.
É inevitável nas pessoas que admiro.
É inevitável também, que ao fim de um certo tempo, eu consiga reduzir essa pessoa à sua humanidade...uns consegue manter-se no patamar em que os coloquei outros ficam ao meu nível e outros caem.
Mas depois de todo o processo é surpreendente como alguns emergem e fazem um resumo tão...fracking good, de uma situação...com toda a inteligência, aliada à perspicácia e intuição que me deixa contente pela decisão de não deixa-la cair abaixo do que considero o meu nível, seja lá o que isso for.
Diria mais, não só me deixa contente como orgulhosa de conhecê-los e de me deixarem andar por perto.
.

Fragmentos

- Mãe, olha ali um CAMIÂAAAAOOOOOO|
- Sim kido!
- Mãe, mãe, olha OUTRO CAMIÃAAAAOOO!
- São dois!
- Dois CAMIAÃEEEEESSSS!
- Não amor, são dois Camiões!
- Dois CAMIAÃEEEEESSSS!
- Não filho, diz-se dois camiõeeeessss!
- Dois camiãieeees?
- Dois camiões!
- Camiãesss?
- Camiões
- Camieeeãaaaaeeeee!
- camieãe....camiõeesss!
:S

Uma coisa qualquer


No emaranhado de pensamentos que fluem diraiamente pelo cerebro há sempre um que fica como um ditame para a vida e há sempre outro que se esquece assim que entra nos circuitos.

No emaranhado de palavras que fluem diariamente pela boca (e/ou mãos) há sempre aquela que permanece na memória como algo que tocou e há sempre aquela que foge entre dentes e cuja importância é nula.

No emaranhado do toques que fluem por dia há sempre aquele que fazemos com cuidado para que resida para sempre na pele e há outro que é tão fugaz que não se sente.

Mas um não existe sem o outro, há uma coisa qualquer que os liga inevitavelmente. Só sabemos que o que é importante existe porque os que se foram não tiveram qualquer importânica.
.

Uma semana


Foi assim...de repente...decidi tirar uma semana de férias.

Foi assim...quando soube que a cavalaria vem em socorro da infantaria, que já se encontra à beira da exaustão!

O problema é que tenho tantos assuntos para despachar que provavelmente pouco vou gozar férias na verdadeira acepção da palavra mas pronto...o afastamento dos mesmos locais, das mesmas pessoas...vai fazer bem!

Só tenho pena de, com todas as coisitas para despachar, não poder pôr a minha escrita em dia...mas vou tentar...ora bem!

Pronto e só tenho que trabalhar a semana que vem...deixar tudo organizado na contabilidade...impressos electrónicos entregues e aí vou eu!
!

O inverso

Já repararam que os filmes estrangeiros, na sua maioria, têm o título traduzido para português em letras garrafais...e que...



...os filmes Portugueses têm o titulo em inglês...em garrafão ;)


Tatuagens

Ando novamente em busca de uma nova tatuagem para infligir nas costas. Gosto delas coloridas embora não as veja a não ser no reflexo...gosto da primeira mas a que me está a cair mais no goto é a última...conselhos?











Fragmentos


De mão dada a descer a escada...ouviu-se um pequeno barulho:

- Mãe, que foi ito?
- Foi..auhummm...foi...hummmm...uma mota!
- Não. Foi a mãe...pedo!
- Eu?!? Não fui nada.
- Foi...foi a mãe
- Eu?!?. Foi o Snoopy!
- Foi mãe!
- Foi o snoopy!
- Foi puppy?
- Foi 'mor! Vamos abrir-lhe a porta da casa...e dizer-lhe que é um porco!
- Vamos!
!

FNAC

Estou decepcionada com a FNAC.

Tenho o cartão da FNAC. Custou-me 15 euros para o período de 3 anos.
Acho que acumula pontos conforme as compras e...dá descontos exclusivamente a aderentes.

O meu objectivo principal quando adquiri o cartão foi a compra de livros porque acho que tudo o resto é mais caro na FNAC.

Ora...comprei dois livros há pouco tempo e tive direito ao desconto...Boaaaaaa...por ter cartão...por ser aderente...

No dia seguinte vi precisamente os mesmos livros num hipermercado com preço idêntico ao que que paguei já com desconto...

E paguei o cartão :(

Não gostei! Pois não!
Não vou renovar o meu cartão e quero que a FNAC VÁ DAR UM VOLTA AO BILHAR GRANDE...e se não aprender a meter bolas...bom vocês sabem o resto n'é?

?

Carta do canix...




Meu caro senhor
Resolvi também dar-lhe uma palavrinha uma vez que faço parte deste trio e não quero ficar de parte.

Embora não o conheça muito bem até porque o seu cheiro já há muito que se dissipou das minhas narinas, sei perfeitamente que acha que tenho uns olhos esquisitos e que diz que pareço um ET (a donix chibou-se aqui ao Je) mas, acaso, não acha o senhor que é caso para menos?

Aturar estes dois tem sido obra e um teste à minha paciência.

Assisti à cena do comboio (não sei porque raio lhe chamam apitix uma vez que aquilo não emite som nenhum) e fiquei completamente siderado com este vai e vem de queixinhas feitas à sua pessoa.

Não faça caso de nenhum dos dois porque são, os dois, vides da mesma cepa. Enquanto um tenta, até agora com pouco sucesso, arrancar-me os olhos, fingindo que me limpa a ramela o outro atulha-me de ração até à garganta (pão que é bom e que eu gosto...nada) só para eu ficar roliço como uma bola!

Não me vou adiantar mais...uma vez que já disse mais do que devia!

Escrevi-lhe esta missiva apenas com o intuito de lhe dizer que lá em casa é tudo tontinho (excluindo o Je) e aproveito para lhe elucidar que os meus olhos denotam, não uma certa esquisitice (como gosta de afirmar) mas sim a brilhante mente que se encontra por detrás deles...a prova é...que sei ler e escrever...

Um abanar de cauda para a família.

Canix

Carta da mamix ao compadrix



Meu caro compadrix...

Não deve levar em conta os relatos pouco precisos do gajix. Todos sabemos que esse menino nem sequer chegou a imberbe e já se julga com pêlos na fuça mesmo por baixo do nariz. Deixe ele a chucha de lado e depois pode vir de peito feito conversar comigo sobre aspectos desta natureza.

Eu meti, de facto, todos os peluches na máquina de lavar e expliquei com todo o cuidado ao gajix que iam todos a banho.


O Gajix ficou muito tempo a olhar para o óculo da máquina, impressionado com toda as voltas e reviravoltas que os seus macios brinquedos levaram ficando mesmo desgostoso quando viu a centrifugação.

Gostava só de esclarecer, em meu favor, que embora o apitix não andasse a rebolar pelo chão com os outros ainda levou uma boas esfregadelas, do ranhoso (gajix), antes de ser posto na porta.

Devo também esclarecer que embora o apitix estivesse na porta do quarto ficou sujeito a todas as partículas de pó que andam na atmosfera interior, algumas aposto com ranho do gajix outros com ramela do canix.

Eu sei garantidamente que elas se alojaram de uma forma ou de outra no apitix e nem precisei, para isso, de ter um acelerador.


Tenho, no entanto, que admitir que o apitix foi o único a sofrer uma distorção no seu formato. Nada que o ferro de passar não resolvesse e que uma colagenzita não disfarce.

Não é necessário, de todo, um novo apitix, só preciso de alguma orientação para proceder à devida colagem.

UHU será suficiente ou demais?

Uma beijoca para a todos na família.

Sou com elevada estima,


Mamix

Carta do Gajix ao padrix


Caro padrinho,

Tenho que informá-lo que aquele comboio que me ofereceu para afixar na porta do meu quarto se encontra num estado deplorável. A mamix entendeu por bem, e contra a minha vontade, lavar todos os meus peluches e juntou-lhe o meu mais adorado comboio de sempre: o apitix (nome pelo qual o chamo).

O apitix sendo de feltro e tendo sido carinhosamente construído pela madrix por afinidade (na qualidade de sua esposa) contém, com toda a certeza, produtos colantes que se diluíram na água da lavagem aos peluches.

Resultado: as letras ficaram um bocadinho desbotadas e algumas soltaram-se por completo. Eu já andava a tratar delas: meti-as na boca e esfarrapei-as mas fui apanhado a tempo pela mamix que me deu um raspanete e chamou-me de malandro (ppffff...a injustiça!)....quando foi ela a causadora de tamanha desolação ao apitix.

Alem das letras, a base verde em que o apitix se apoiava também se separou do resto e ficou quase irreconhecível mas a mamix já conseguiu que voltasse à sua forma original. Está mais mole mas do mesmo tamanho e ainda verde!

Por estas razões venho por este meio solicitar ao padrix que meta algum senso na cabeça da mamix, lhe diga como deve voltar a "montar" o apitix e que lhe diga também que jamais deve voltar a mete-lo na máquina de lavar.

Um abraço e jito à família...sou com estimada consideração,

Gajix!

Despertar


Pintava-te se soubesse como te pintar.
Pintava-te com sentimento se soubesse como te sentir.

Pintava-te com sentimento e imaginava-te nu se soubesse como te imaginar.
Pintava-te com sentimento e imaginava-te nu mas jamais te diria se soubesse como estar calada.

Pintava-te com sentimento e imaginava-te nu mas jamais te diria que és um sonho...só para não acordar.
.

English

Today is the day!

Having said that I have nothing more to say.


There...I said it!

:P

Fragmentos


O gajix já anda na fase de experimentação de largar a fralda mas ainda a usa nalgumas situações.
Quando a estou a mudar temos muitas vezes a seguinte conversação:

Eu - Puffffff...cheira mal...
Gajix - mosta mãe, mosta!
Eu - Se queres veres este lindo presente tens que começar a fazer no penico!
Gajix - Bacio?
Eu - Sim, no bacio! Quando quiseres olhar para o que fazes...tens que ir ao bacio...e podes ficar a olhar para isto o tempo que quiseres!
Gajix - (soriso)

Para falar francamente já me passou pela cabeça que quando ele finalmente usar o penico aquilo poderá não ficar lá muito tempo.
Ai vida!
!

Estupidez kruellana


Estava eu hoje a cantarolar no local de trabalho quando me lembrei que podia ouvir a música só para mim...sem incomodar mais ninguém.

Toda satisfeita tiro da minha gaveta os "fones" e...wait for it...

...enfio a ficha jack stereo ( portanto a outra ponta dos auriculares)...wait for it...

... na boca!

Your male instrument will be working again


Sincronização perfeita entre as mensagens em spam que eu recebo e a minha situação actual...o estudo de inglês...

...Uma vez que a frase do titulo está no futuro continuo (trazido à letra)


É certo que o male instrument, lá de casa, já há muito que não leva pilhas.
É certo que as pilhas para além de, noutros tempos, se esgotarem rapidíssimo começaram a deixar de sortir grande efeito num male intrument com as características do meu...
É certo que tudo isto pouco importa...porque mesmo sem pilhas...a coisa funciona muito bem com o devido esforço manual...

É certo que ele irá funcionar again and again and again...tudo isso no future continuous...

Nota: todas as minhas mensagens de spam estão a ser escrutinadas pela minha mente atormentada e a ser devidamente identificadas de acordo com as tenses de inglês.
.

Do you speak English?

A aflição está a tomar conta de mim. O pânico...o horror...e a desolação vêm depois!

Se bem me conheço de quinta para sexta vou dormir mal.
Na sexta vou andar com um nó no estômago: À hora de almoço vou entrar em pânico porque acho que não estudei ou fiz exercícios suficientes; No final da tarde vou sentir-me baralhada com os verbos e as "tenses", a voz passiva, os discursos indirectos, os verbos que exigem o "continuous" e os que exigem os infinitos, os modal verbos, e preposições...ai ai...vai dar-me uma branca e quando estiver a ler o teste tenho que fazer um esforço descomunal para me concentrar e ver a palavrinhas em inglês que melhor se devem encaixar nos exercícios do teste.
Vou sair de lá extenuada e com aquela sensação de que fiz quase tudo errado. À noite quando finalmente adormecer vou sonhar com a bodega do teste e ver exactamente onde errei.

No dia a seguinte acabou...já não penso mais no teste e vivo por uns dias a calmia dentro do olho do tornado...sim porque depois volto ao mesmo...mais outro teste de inglês...só para arrotar o aperitivo!

E garanto-vos que na parte escrita ainda me vou safando...agora...se me vissem a falar o inglês...pareço um índio que nunca saiu da reserva e permaneceu sempre ligado à suas raízes. E nem com um chazinho lá vou.

Por isso...a resposta à minha própria pergunta é:
No...sor (isto sou eu a gaguejar à procura da palavra certa)..sorry...b...but...it's n...not much likely! (claro que se escrevesse poderia dizer "it's unlikely" ou "NO, I don't" :P)
!

Criança...dia e tal


Lembro-me perfeitamente qual foi a primeira decisão que tomei ainda em criança. Foi uma decisão consciente e ainda hoje sinto a determinação que tive quando fiz a opção.



Curioso é observar na pessoa do gajix que ele também já tomou essa decisão acerca de 2 semanas atrás...


...gostava de saber se a tomou com a mesma determinação que eu!
!