Resolução para o ano novo


Comprar uma bicicleta.

Reciclar


Eu faço reciclagem há alguns anos. Para mim não há qualquer tipo de dificuldade em separar os materiais e depois levá-los ao eco ponto.
Comecei há coisa de dois anos a fazer a reciclagem para levar para a farmácia: medicamentos com prazo de validade expirada, recipientes dos medicamentos e outros.
Tento sensibilizar outras pessoas a fazerem a reciclagem mas por vezes sem grande sucesso. Se pergunto porquê..."nunca sei onde enfiar" é a resposta.

Bom...aquilo tem cores diferentes para os diferentes materiais...talvez ajudasse se a cor viesse estampada no símbolo (no caso do papel não dá mas no caso de caixas de papelão...) mesmo assim acho que nem toda a gente faria...continuariam a responder-me que não sabiam onde enfiar!

Se fosse o dedo....

Quase


Tenho tudo...ou quase tudo...
Não sinto nada...ou quase nada...
Estou cheia de energia...ou quase cheia...
A cabeça está vazia de ideias...ou quase vazia...
os dedos estão prontos para as marteladas...ou quase prontos...
e a história está escrita...ou quase escrita

Quase que sou aquilo que nunca fui nem jamais serei...quase...

...a não ser... que acabe aquilo que comecei...estou quase a acabar.
Faço figas!!!

DEXTER


Recomendaram-me esta série e nos últimos três dias não tenho feito outra coisa, assim que tenho um tempo livre, senão ver a primeira temporada. Já está!


Dexter é a personagem principal. Ele é um técnico forense cuja especialidade é, através do estudo do sangue, dizer como a vitima foi morta. Ele é muito bom naquilo que faz não só porque é profissional mas porque também ele é um serial killer.

O primeiro episódio é um estrondo...chama a atenção e fixa-nos à série mas depois começa a haver uma quebra e tudo se torna muito dedutível sem grandes esforços intelectuais...para descobrir quem é o outro serial killer!

Enfim...podia ter sido melhor mas não foi de todo mau.

Achmed...jingles...



Bom...não fiz muito alarido com o Natal este ano...não pus uma musiquita sequer...por isso deixo-vos a cantoria pelo terrorista mais conhecido entre os bonecos ;)

He kill me

Here I stand


Ofereço a amizade. Ofereço a companhia. Ofereço as palavras. Ofereço o gesto. Ofereço-me como posso. Here I stand.
Aceitaste tudo.
Ofereceste a amizade. Ofereceste a companhia. Mas não sabias o que dizer constatemente. Nunca ofereceste o gesto. Nunca te ofereceste.
Aceitei tudo. Here I stand.
Mas a cores tornaram-se esbatidas. Há cores noutro sitio que não é o meu. Não sou uma montanha, não sou uma estação e embora tenha frio não existe neve em mim. Há talvez as cores do passado...que ainda podem voltar a colorir o teu mundo.
Eu não passo de uma tranparência que em breve se tornará invivisel. Não passo do nada que um dia abraçaste!

Macgyver




Hoje dei uma de macgyver...tive que me desenrascar para fazer uma prenda parecer aquilo que não é! Para além disso o papel, para embrulho, que tinha em casa não chegou para um terço das prendas...tive que inventar com a papelada que tinha à mão. Já tá tudo embrulhado ;). Este ano já me safei.


Carraspanudo

video

Há dias que só apetece apanhar uma carraspana. Para tentar esquecer...o que nos incomoda...pena é que a carraspana não resolve nada...porque no dia seguinte, além do mau estar, os problemas continuam todos lá!

30 days of night


Já não via um filmes destes há imenso tempo. Finalmente um filme que me fez saltar (e bem) da cadeira e estar com um nervoso miudinho durante quase todo o tempo do filme. Eu gostei, apesar de ter uma coisita ou outra (ja vistas antes) que são inevitáveis para manter o suspense. O final foi bom ;)!

Jantares de natal


Uns atrás do outros...

Se um jantar correu bem o seguinte foi um falhanço completo. O primeiro foi no japonês, com uma comida pouca natalicia para a nossa tradição, mas com uma excelente companhia. O segundo foi num restaurante tão in mas tão in que a refeição não veio out por um milagre. O bacalhau estava salgadissimo a virar para o intragável. E depois ainda fui gozada por um homem que não conhecia e por coincidência veio atrás de mim quando fui ao WC com o gajix debaixo do braço...ainda tou para saber se me gozou por ir a brincar com o gajix ou se era da posição em que o levava (tipo saco de batatas) ou se era...de outra coisa...ele simplesmente atirou-me com uma gargalhada bem sonora na cara...se calhar ia tocado...pois...ia a rir-se dele próprio...

A salvar a noite estiveram os amigos e o calmeirão que andava a servir outra mesa com muita pena minha...mas ainda lhe consegui tirar umas fotos...que o rapazola merecia entrar na minha... máquina ;).

Cheguei estafadissima a casa...isto porque andei com o gajix para trás e para a frente, fartei-me de lhe dar voltas e de o virar de cabeça para baixo e rodopiá-lo...isto tudo para o cansar. E no final de tudo quem tá cansada sou eu!

menino Jesus


Xiiiiii...já viram como cresceu o menino Jesus????
Continua deitado nas palhilhas sem praticamente roupa nenhuma...será que as ofertas serão, ainda, dadas por reis magos?
Terá outro tipo de ofertas? Mirra não me parece que seja uma boa oferta...está tanto frio...por isso...mirrado...hummmm...
Ajoelhar-se-ão outas pessoas aos seus pés?
Que pedirá ele ao pai...Natal?
Ainda será aquecido só por uma vaca e um burro?
Será que existe ainda uma estrela a indicar o caminho?

Decisões...



Eu sou uma rapariga tão decidida, mas tão decidida que quando vou a caminho de uma loja ainda vou a pensar que raio de prenda vou comprar. Na entrada da loja já sei que vou comprar o objecto quadrado. Quando o analiso durante 2 minutos os olhos reviram-se e vêm o objecto redondo...
...e é assim que faço a maioria das compras das prendas...trago sempre o objecto redondo ;)

Estas são as que me dão mais prazer de oferecer...o que não quer dizer que sejam as que a pessoa tenha mais prazer em receber...

e nesse caso...o prazer foi todo meu ...eheheheheheh

Apanhados



Reparem bem na explicação do terceiro homem....

Medicamentos


O pessoal à minha volta anda todo doente! Uns com constipações ou gripe outros com uma virose qualquer que provoca má disposição (fisica) e corridas urgentes ao WC.

Eu vou-me safando...por enquanto!

No entanto quem esfrega as mãos de contentes são os farmacêuticos...eles já deviam estar a torcer para que este "tempo" chegasse.

Já os imaginava, mais tarde ou mais cedo, em manifestações a reivindicarem um subsídio do Estado porque este ano não tinha havido doentes suficientes e eles teriam que "deitar" fora os medicamentos cujo prazo de validade estaria a acabar!

Por falar em medicamentos...já repararam que em cada caixa existe uma boa "literatura"?
Ora se uma pessoa está doente, cheia de arrepios ou dores e quer saber se determinado medicamente que tem em casa serve ou não...vai consultar a "literatura" no interior...claro que antes de poder acabar a leitura já lhe deu alguma coisinha ruim. Primeiro porque o "documento" é muito longo e segundo porque o palavreado é praticamente só para pessoas que têm noções de farmacologia.
O toque final é quando queremos enfiar aquilo dentro da caixa...acham que conseguem? Conseguem dobrar como estava? A caixa não fica toda insuflada? Bolas...Santa Paciência!!!!

UB40



Há um rato na cozinha o que é que eu vou fazer?

-Vassouradas?
-Morte por esmagamento?
-Sapatadas?
-Largo-lhe o cão?

Lost




Life can show no mercy
It can tear your soul apart
It can make you feel like you've gone crazy
But you're not
Things have seem to changed
There's one thing that's still the same
In my heart you have remained
And we can fly fly fly away

Protegendo...




....os seus "irmãos"!!!!

Metropolitano


Ontem ia apressada para a aula de inglês e já ia atrasada. Meto-me a fazer gracinhas e depois...saio daqui tarde.

O metro estava "à pinha". O pessoal entrava e ficáva como sardinhas, bracinhos para baixo sem poder segurar onde quer que fosse...

Era assim que eu ia...ao sabor...do carris...ia e vinha como um pano a voar ao vento...

Alguém não gostou...porque comecei a sentir cotoveladas...felizmente as cotoveladas só acertaram na mala que pelos vistos era a parte que estava a tocar na senhora. A mala começou a mexer-se contra mim...com o movimento das cotovoladas...

Deitei um olhar para a mala e preveni-a (a mala), num diálogo mudo, que parasse porque me ia a incomodar naquela dança! A mala não me ouviu e continuou...e eu muito paciente...comecei aos encontrou à mala do meu lado. A mala enervou-se e começou a mexer-se mais depressa e eu reagi e dei-lhe encontrões mais vigorosos. Vejo uma mulher virar-se para mim e a apontar para a mala e eu perguntei-lhe: Também a está a incomodar?

A mulher deitou-me um olhar e eu agarrrei na mala e pus-me a gritar e a agitá-la de um lado para o outro: SE TE PORTAS MAL...JÀ sabes onde és enfiada?

A mulher olhou para mim com um ar assustado e achou melhor não dizer mais nada. Sim...porque se ela dissesse alguma coisa, uma só palavra...umazinha...achincalhava-a toda (à mala...e à mulher também)!

Partidas


Hoje preguei uma partida ao departamento de informática...sei...sei que este tipo de brincadeira não se coaduna com a época...mas nada como ver um bando de marmanjões a transpirar...ehehehehe

Imaginem...rapazinhos muito concentrados, a pensarem que o Linux é um sistema super hiper fixe e a defenderem essa convicção com unhas e dentes...
Imaginem... que esses mesmo rapazinhos vêm à minha sala tratar de certos assuntos e são tão tímidos, mas tão tímidos, que na maior parte das vezes nem dizem bom dia às restantes pessoas da sala a não ser quando eu resmungo...
Imaginem...eles a verem um email, supostamente para toda a empresa como este que mandei...



" Olá a todos,

O jantar de Natal aproxima-se e este ano decidimos fazer uma coisa diferente. Como em todas as empresas vai haver troca de prendas entre os colaboradores. No entanto para tornar esta iniciativa mais animada, a troca de prendas será feita com apresentações, às quais vocês já estão habituados aquando das jornadas (será canja).
Por isso, decidimos deixá-los escolher a vossa apresentação entre algumas canções de Natal ao vosso gosto. Sendo que cada grupo apresentará duas canções.

Afinem essas vozes de tenor...

Cumprimentos, "


Depois fiquei eu a imaginá-los a suar as estopinas, e como me diverti quando começaram as perguntas...depois tive que me ir embora do serviço e resolvi deixá-los mais tranquilos e mandei-lhes outro email...


"Olá a todos novamente,

Podem respirar fundo....foi brincadeirinha!

Não vai haver cantorias. Seria um suplicio ouvi-los...ou não :-P !

Desculpem...ehehehehehe


Jinhos natalícios a todos"

Relax


Agora um momento relaxante com um pensamento profundo (um dos meus):



Vi uma ortiga a crecer numa calçada de Lisboa, não há malmequeres, não há papoilas, não há floreszinhas...só a ortiga isolada!


Esta planta é uma erva daninha...ao que parece com atributos medicionais... mas picaaaaaaaaaaa que se farta principalmente se alguém cheirar o seu perfume de perto ;)

Cavalgaduras


Xiiiii...venho furiosa provavelmente nem devia estar a escrever porque nem vai fazer muito sentido!

Quando, há um mês atrás, o meu gestor de contas insistiu para eu fazer um determinado cartão e insitiu para pôr siglas antes do nome, eu não achei muita piada e disse-lhe que não, ao que ele laboriosamente me deu a volta!

Hoje fui à minha agência porque queria fazer uma operação bancária que não dava para fazer on-line. A senhora que me atendeu estava a ser muito rispida comigo e eu comecei a ficar vermelha. Ficar vermelha porque fico embaraçada com algo que digo ou que faço é uma coisa, agora, ficar vermelha de raiva é outra e a bem dizer por vezes Continuando...eu não podia fazer determinada operação sem pagar porque era para a conta de outrem (mesmo sendo da mesma agência) mas se fosse para outra minha já dava...mas o ton com que isto foi dito e a presunção...
Eu respondi que, se assim era, fazia-se para uma das minhas...e saquei do meu cartãozinho para consultar o número, que afinal nem existia no dito!
Pasmei-me...como o ton mudou e como a vontade de ajudar melhorou...

Isto há com cada cavalgadura...

Haka Dance

A equipa, de Ruby, de New Zealand pratica um ritual antes de cada jogo. Homens GRANDES e VIRIS cantam enquanto executam uma dança com o intuito de intimidar o rival. Depois vai-se a ver e só querem que o sol brilhe para eles (letra).

Eu digo-vos que, se aparecesse um grupo de homens daqueles à minha frente , a baterem no peito e a emitirem urros, eu abalava-me a fugir...ehehehehehe...

Mas a fazerem aquilo a homens com as mesmas dimensões...pouco os abalam. O que é certo é que este ritual acabou por ser uma atracção para esta equipa que este ano teve uma boa performance.

Picanha...


Tudo começou com reduzio...a confusão instalou-se.

Moça1 - Disseste em qual? Onde era o chimarrão ou onde é o Chimarrão?
Moço- Tou aqui neste, mesmo em frente à vossa porta!- Respondeu a voz do outro lado do telemóvel!
Moça1- Ahhhhhh...nós estamos aqui!
Moço- Aqui onde?
Moça1- Na esquina!
Moço- Ok! Eu vou ter com vocês!
Moça2- Disseste-lhe qual era a esquina?
Moça1- Não!
Moça2- Telefona-lhe! Diz-lhe que decidimos ir comer à nossa porta!
Moça1- Onde estás?
Moço- Estou aqui "linda" (otária foi a palavra usada) é só olhares para o outro lado da rua!
Moça1- Ok. Vamos para onde vieste!

Moço- Quero ir ao Rodizio!
Moça2- Onde vamos há rodizio!
Moço- Com brasileiras?
Moça2- Tem moços brasileiros!
Moço-Ahhhh...por isso é que queres lá ir!

Moça2- O rodizio come-se numa sala à parte, aqui também há pratos!
Moço (quase já sem paciência)- Desde que haja picanha!
Moça2 interpela moço brasileiro - Há pratos de picanha?
Moço brasileiro- Há sim!
Moça2 - Queremos almoçar!
Moço brasileiro-Por aqui!

Almoçarada sempre regada com riso e conversas sobre poleiros, pardais telhados, canários, pauzinhos, fios ao pescoço com grandes bolas, Tailândia, escorregas para piscinas, a fé em Deus, Kilts, filmes ao vivo, lésbias, swing, blogs, profissões cheirosas, vazio, cervejas, Dvds, feijão com arroz, farófias que eram farofas, caruma que era sama e vice-versa, pinus pinaster e pinus pinea e bons negócios.

Com promessa de mais uma dose para a próxima semana!

Prendada


Ainda não pensei em prendas nenhumas...ando numa languice de meter dó!
No entanto fui "obrigada", por motivos pessoais alheios, a pensar numa prenda para a oferecer depressa senão...uiiiiiii! Fui consultar uma famosa lista de livros e ao fazer pim pam pum...escolhi criteriosamente um deles...LOL(que contradição...mas eu posso!:P).

Bom eu geralmente gosto de comprar os livros pessoalmente, gosto de folheá-los, cheirá-los e...lê-los. Mas neste caso não pude, tive que fazer a encomenda on-line e muito à pressa. E depressa e bem...enfim...o livro chegou hoje e só hoje percebi que não tinha pedido para vir com papel de embrulho, laço ou cartão. Fiquei tão desgostosa que me ia dando uma coisinha má!

Epá, mas eu nunca me deixo "enrascar"! Como sabia que não podia dar o livro assim porque a pessoa em questão o quer abrir só no Natal e surpreender-se...tinha que lhe arranjar um embrulho de qualquer maneira!
Assim sacudi o meu desgosto...e pus-me a pensar numa solução!
Jornal, pensei. Nahhhh aquilo num presta para embrulho porque a tinta sai toda e ainda suja o livro.
Eis que me veio o sorriso aos lábios. Envelope de papel pardo da empresa! Yessssssss.... Embrulhei cuidadosamente, pus fita cola e fiquei a olhar de lado para o embrulho...ai aiaiaia aiai...qualquer coisa não vai bem...falta...falta um laço!

Num tinha...quase que me desfiz em lágrimas!

Num tinha...mas fiz...à mão!

Tal como uma menina da escola primária lá fiz um desenho muito infantil de um laço e ainda me dei ao trabalho de o pintar! Ficou um bocado mal pintado, com falhas mas a culpa foi da caneta que embirrava que não pintava em certos sítios... mas até ficou pintarola e o melhor de tudo foi que me diverti a fazê-lo!!!!

Companhias...más!


Hoje fui almoçar muito bem acompanhada! Eramos 4...hummm...portanto fui com me, myself and I e claro eu era a 4ª. Eu sou a morena, me é a de olhos verdes, Myself é a de cabelos caju e I é a de nariz arrebitado.
Xiiiiiiiiiii... a algazarra que fizémos naquele espaço de restauração que é o Campo pequeno. Uma contava uma piada as outras riam estrondosamente! E as discussões...uiiii...essas eram feitas sem considerar que mais ninguém estava em redor...chegámos a cuspir comida de tão excitadas que estávamos a falar.

Quando passámos por uma loja - um Spa para mãos - fizémos o seguinte diálogo:

Me: Ai credo...já viram este letreiro que está na vitrine?
Myself: Estou a ver!
Me: Que raio quer aquilo dizer?
I: O quê?Me: "Permantente de pestanas"! Então agora também se faz permanentes às pestanas?
Myself: De facto, nunca tinha ouvido falar disso!!!!
Eu: Será que metem rolos nas pestanas?
I: Nunca vi ninguém com as pestanas com cachos ou canudos..
Eu: Eu também não...que aspecto terá? Hummmmmm...será que se põem extensões nas pestanas e depois as encaracolam?
Me: Provavelmente!
Eu: Será que parece que a púbis se mudou para os olhos???

Andámos mais um bocado e já fora reparámos no cartaz da intimissima, em outdoor.

- Myself: Olha pelos vistos o leopardo voltou à moda de roupa interior feminina!
- I: Eu gosto. Grauuuuurrrrrr
- Me: Pára de arreganhar os dentes, Me! Eu também gosto e fica bem àquela cabra!
- Eu: bicht! Porque será que estas escanzeladas quando tiram uma foto em roupa interior e depois ficam com aquela boquinha assim meio aberta...
- Myself: Mas quem é que olha para a boca das gajas pá?
- Eu: Eu olho! Gosto de ver se os lábio são carnudos e se as moças têm uma boa dentição!!!
- I: Então deve ser por isso que elas a abrem. Há sempre gente que as avaliará pela dentição...como se faz aos cavalos.
- Eu: Achas que os homens olharão para os dentes?
- I: Não. Eles olham para outra parte da anatomia!
- Eu: Pois mas de toda a maneira devem-na considerar um bom....cavalo!

Todas em unissono: Bitch!!!!!!

Les adventures de Tintin!

- Milú, Milú!
- Oui, C'est moi!
- Ahhhhhh....tu parles?
- Oui, Oui!
- Ohhhh...comme ça c'est Bom!
- Oui, Oui!
- Et de qu' on peux parler?
- Rien...ça c'est un rêve!
- Ohhhh...Milú Milú...
- Oui, c'est moi!

(Nunca percebi porque é que um gajo entre os 15 e os 17 nunca teve uma voz mais...grave! Ta maleeeeee)

Compilação

Aqui fica os melhores momentos de todos os bonecos do sr. Jeff Dunham!

"Don't turn your back on him...unless you have the lotionnnnn!"

Espiões


Parte III

Entrei no circulo e aguardei a chegada das adversárias. Contava com uma de cada vez mas entraram as duas ao mesmo tempo. Percebi porquê Apolónio me tinha oferecido a faca que agora transportava na parte de dentro das minhas botas. Este combate ia ser duro e ouvi alguém gritar que assim seria digno de uma princesa.
Em Limpia os combates no circulo nunca eram combates de morte. Faziam parte de um jogo, por vezes torturante para a parte mais fraca, mas nunca iam até aos extremos. Mas agora a regras tinham mudado. Eu tenho noção que ou mato ou morro. Aquelas duas não me vão dar descanso!
Tentei permanecer junto à parede mas a multidão começou a protestar e a mulher mais alta investiu contra mim. Com a espada que tenho tive que arranjar espaço para manobrar e por isso afastei-me da parede dando oportunidade à outra de me cercar pelas costas.

A primeira mulher estocou-me com investidas rápidas desenhando X's imaginários à minha frente. Eu não podia dar-me ao luxo de me concentrar apenas nos movimentos da sua espada porque a segunda mulher aproximava-se com dois alfanges nas mãos. Aparei uma das estocadas com a minha manopla e o meu braço ficou momentaneamente dormente com a força do impacto. Saltei de imediato para o seu lado direito obrigando-a a virar-se no sentido do braço que usava para me atacar. A segunda mulher investiu nesse momento mas eu consegui aparar o golpe. Rapidamente contornei a mulher dos alfanges e investi contra ela. Tinha agora as duas mulheres à minha frente mas era para a mulher mais baixa que eu dirigia a minha atenção. Enquanto lhe dava estocada atrás de estocada fazia-a, intencionalmente, pôr-se à frente da outra bloqueando-lhe assim o acesso a mim.
No entanto esta manobra não durou muito tempo. A primeira mulher dá um grito de comando à segunda e esta saiu da minha frente mas eu continuei a investir contra ela obrigando-a a defender-se e escudava-me assim da outra. Ela recuou e eu fiquei desprotegida e abri uma brecha do meu lado direito que a mulher alta aproveitou. Com a minha espada impedi uma estocada que me abriria a cabeça e decidi mudar a minha estratégia.
Rapidamente baixei-me, estiquei uma das minhas pernas num movimento giratório e preguei uma rasteira à mulher alta e antes que ela tocasse no chão consegui abrir-lhe uma ferida na coxa. Ela rebolou para longe e eu só tive tempo de aparar dois golpes dos alfanges. Empurrei a outra mulher e enquanto ela se equilibrava olhei para a primeira e reparei que ela se punha de pé com dificuldade e que furiosa se preparava para retomar a investida.
Enquanto a segunda mulher se aproximava violentamente oscilando as duas lâminas eu simulei uma defesa como a anterior mas no ultimo segundo mudei a posição da minha espada e com um grito carreguei sobre a barriga da atacante e retorci a lâmina lá dentro. No entanto não consegui tirar a lâmina do corpo da outra e perdi a minha arma afastando-me do corpo com duas cambalhotas para trás.
Tirei a faca da minha bota e a mulher mais alta riu-se. A desvantagem era evidente: eu com uma lâmina curta contra ela com uma espada...jamais conseguiria apanhá-la a não ser que efectuasse uma "dança" rebuscada...mas ela estaria à espera disso. Portanto fiz a única coisa lógica que me restava. Enquanto ela se ria em frente à multidão eu arremessei-lhe a faca em direcção à garganta! E foi de lá que a tirei perante um momento aterrador de silêncio, seguido de um barulho ensurdecedor.

Depois de me tirarem do circulo algemaram-me mas esqueceram-se de me pôr grilhetas e esse foi um erro fatal para o meu carcereiro. Desde pequena que conheço o circulo e todas as passagens que me poderiam levar à liberdade. Por isso com um encontrão e dois pontapés no sitio certo inutilizei o meu carcereiro e corri tanto quanto a adrenalina me deixou.
Sabia que em breve, à minha procura, iam estar todos os "espiões" do reino mas não tinha nada a perder. Os "espiões" são mini-robot que nos detectam e atacam com o veneno que têm na cauda. Vi um na esquina de uma passagem e consegui destrui-lo antes que me picasse. No entanto sabia que em breve estaria ali tantos contra os quais eu jamais conseguiria escapar. A única solução era correr em direcção à água e foi o que fiz. Aquela passagem levar-me-ia directamente ao rio que atravessava a cidade por baixo. Cheguei ao final da passagem e atirei-me!
O texto seguinte será feito pelo Filipe :)

I wanna come home


Olho para ti através do espelho e lembro-me dos risos
tenho tantas saudades do eco

Olho para uma foto tua e lembro-me da adrelanina
afundo-me no sofá pingando o papel

Penso em ti e recordo-me do teu optimismo
tantas vezes deitado abaixo

Sonho contigo e sei que estás lá
para acordar e sentir que afinal saíste

Vejo os teus olhos reflectidos na imagem devolvida
e pergunto-me quando é que tu...
te transformaste em mim?

O pensamento que me ocorrre é
que nesse momento eu quero voltar...a ser eu!

I wanna come home!

amam-me...lol

Estou sempre a receber trapalhadas destas no meu email...



Olá! dekruella@gmail.com , Alguém especial te enviou um EmotionCard! Click abaixo para continuar.


Um simples beijo pode mudar seu dia, pode acreditar!



Mensagem:

Te amo tanto que chega a doer,
Doer o meu peito,
O peito que você faz sofrer.

Te amo tanto que chego a chorar,
Por não ter você
Aqui para me abraçar.

Te amo tanto que só sei sofrer,
Porque eu te vejo
De uma maneira que você não me vê.

Mas posso dizer que te amo tanto,
Que nunca vou te esquecer,
Porque esquecer você seria
Esquecer o amor de viver.

De: Uma Pessoa que Te Ama Muito


Gosto especialmente da assinatura...lol...claro que tinha que clicar noutro sitio e autorizar cookies...

Achmed the Dead Terrorist

Achmedrrrrrrr o terrorista morto foi-me enviado há já dois meses...eu explorei e acabei por postar dois dos amiguinhos dele (walter and peanut) mas eis quando me mandam outra vez este esqueleto de barbicha preta e vou ter que me render ao boneco!!!!

Por isso atenção a este suicide bomber...com flesh wound...e problemas nos pés...and no ass ;)

Atenção às seguintes frases que vão começar a ser ditas em piadolas:

I Kill YOUUUU

INFIDELLLLLL

HOLY CRAP

(Heloooo I'm Lindsay Lohan)

New Guy - Location, location, Location

No que me toca...estas são as palavras chave para semanas de risotas parvas e piadas entre o pessoal amigo!

Bater à p*nh*t*...por Rui Unas

Video interdito a pessoal que é sensivel a linguagem mais breja e a imagens rápidas de sexo explicito ou a menores de 18 anos!


Preciosidades

Opá...a atentarem uma pessoa...esfregam-me nas fuças com uma oferta de table dance e depois dizem que ainda tenho que esperar um mês quando ia já amanhã?
Que é isto meus amigos...estas coisas não se fazem...põem-me os niples aos saltos e depois tenho que esperar um mês...é que os niples, até lá, andarão sempre de orelha arrebitada...num se faz...é um esforço muito grande!!!
UM FUCKING MÊS??????
ta maleeeeeee....um mês?????? :'(

Quem não arrisca...


...não petisca!!!!

E esta menina não só petiscou como teve um manjar dos Deuses!!!!!


...Horrrr...perdão! (desculpem o arroto...ainda tou de bandulho cheio)

eheheheheheheehehe

Dezembro


Chegou Dezembro, mês da correria às lojas, mês das compras de Natal, mês das compras de roupa, mês de despesas acrescidas, de stress...

Eu estou-me marimbando! Ainda não comprei nada para ninguém e não vou andar mal humorada a tentar escolher, indecisa, a melhor prenda para outros para depois pensar que era a prenda do lado que deveria ter comprado.

Nahhhh...a menina está numa de pensar nela...e neste momento o mês de Dezembro para mim tem um significado - O MAR!

Vou ao banho um destes dias. Gosto da cor do mar em Dezembro, do sabor e da temperatura. Só consigo entrar na àgua depois de pular e pular mas entro...ou assim ou assado vou entrar na àgua. Já deixei um repto ao meu companheiro de BB com esperança que ele me faça companhia porque no ano passado divertimo-nos imenso...

Há mais alguém que goste do mar em Dezembro?

Pequenas coisas...


...ou coisas pequenas, tanto faz!!!

Por vezes no meu local de trabalho quando alguém faz o doutoramento é hábito organizar um pequeno lanchinho de comemoração. Eu por vezes nem tenho tempo de ir ao lanche porque na maioria das vezes calha sempre a uma hora tardia. Mas hoje fui e diverti-me. Revi pessoas que já há algum tempo não via, tivemos na cusquice, brinquei com uns salgadinhos e ainda tive direito a duas fatias de bolo de chocolate.

O melhor de tudo é que fico sempre com a ideia de que tenho que (des)moer uma parte do que comi e começo a mexer-me mais que o habitual. E hoje quando desafiei mais três pessoas para andarmos de "patins"...elas alinharam e eu...gosto quando o pessoal alinha nestas...pequenas brincadeiras! Claro que ninguém sabia andar de patins mas todas fizemos uma patinagem que no mínimo era artística...isto porque os patins eram imaginários!!!

Depois tive que sair com a Sandrine e fui brindada com alguns dos nossos melhores momentos juntas. Para além do quá quá quá que berrámos quase todo o dia por causa da minha nova aquisição para o gajix...tivémos estas duas lindas pérolas, que como sempre nos fizeram rir desalmadamente:

- 50 é quase o dobro de 30 menos 10;

- se tu me comesses quase mais de metade de mim era posta de lado.

E são estas coisas pequenas que nos dão alento a esperar ao frio pelo próximo comboio ;)

Jamie Oliver

Este senhor é extraordinário. Faz qualquer pessoa pensar que é muito fácil cozinhar. Eu que nem fazer um bolo de bolachas consigo dou por mim a pensar (aos domingos de manhã quando o vejo a cozinhar) porque raio eu não alinho com a senaita. Devo dizer que os programas ingleses de cozinha são muito apelativos devidos aos "anfitriões". Neste caso em particular ele movimenta o programa de uma forma tão espectacular que ontem fiquei com a boca aberta com a rapidez com que ele cozinhou numa praça/mercado um pitéu com ovos de gansa! A boca aberta não era de fome, entenda-se, mas que fiquei a salivar fiquei!!!

That's life!

"I've been a puppet, a pauper, a pirate,
A poet, a pawn and a king.
I've been up and down and over and out
And I know one thing:
Each time I find myself, flat on my face,
I pick myself up and get back in the race."

Credo 2


Xiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiii....não deu certo...a cabeçada que dei na parede...em vez de soltar ideias abriu a cabeça e agora são os poucos neurónios que querem saltar...vou só ali ao hospital cozê-la e já venho...
Para os mais preocupados...eu meto gelo, sim, para congelar o movimento emigratório dos neurónios...vão ficar tão congeladinhos...que nem se hão-de mexer.
Se não têm ideias também não se hão-de mexer!!!!

Virei!

Credo!


Ora bem...hummm...deixa cá ver do que é que eu hei-de falar...hummm...

iiiiiiiiiiiiiii...é que tou mesmo sem ideiazinha nenhuma. Credo!

Ás vezes venho para aqui e tento controlar-me porque as ideias atropelam-se e se eu meter tudo de uma vez ninguem lê. Não meto tudo e aguardo ansiosa, com os nervos em franja para que apareça uma pessoa que mude o contador do site meter para eu poder avançar com as ideias...dias há em que tenho que me iludir a mim mesma e entro na página com diferentes browsers só para parecer que veio aqui muita gente ler isto. Suspiro e lá dou vazão ás restantes ideias!

Agora que queria que uma fizesse plim poc...nada...nadica de nada...sem ideias...sem assunto...pppffffff!

Vou ali amandar uma cabeçada na parede e já venho...pode ser que os dedos escrevam o que vai na mente e não o que lhes apetece juntar ao baterem no teclado!

Somewhere over the rainbow

Talvez um dia depois...no final do arco-íris...eu encontre o meu tesouro!

Anedota



Abraão levou o filho para o deserto.... amarrou-o a uma árvore e acendeu uma fogueira debaixo dos seus pés.
De repente, uma voz:- Abraão, Abraão, que é isso ????
-Senhor, Senhor eu estou sacrificando o meu filho, conforme a Vossa ordem !!!!
- Não, Abraão, eu só queria medir a sua fé !!
- Mas Senhor....!!!!
- Porra! Abraão, solta o menino !!!!!
Abraão soltou o filho. O menino saiu disparado...correu, correu, correu, e Abraão gritava: - Filho volte, filho volte, o Senhor libertou-te !!!!
O menino parou, longe, e gritou:- Libertou o caralho !!! Se eu não fosse ventríloquo estava fodido !

Smirnoff

video

A publicidade da semirnoff é de facto fabulosa...aqui está mais um video genial desta marca!

Mergulhos


A primeira vez que uma pessoa entra dentro de água com o intuito definido de fazer mergulho submarino vai com aquela sensação de que vai tirar o máximo prazer de uma vida subaquática que de outra maneira jamais consegue captar. É um momento único. Vamos ao fundo mas com o espírito elevado!

A primeira vez que a pessoa veste o equipamento de mergulho fá-lo com cuidado e segue atentamente as intruções do monitor. Põe o fato, poe a botija de oxigénio mete o tubo na boca puxa os óculos e catrapimba dentro de água.

Segue o grupo, olha atentamente para os sinais gestuais do monitor e vai começando a sorrir interiormente para a maravilha que a transparência da água nos permite ver.

Claro que quando sorri tem que faze-lo com cuidado porque não se pode esquecer que leva um tubo na boca...
Claro que quando vai em grupo deve manter a distância razoavel para não levar com uma abanadela de barbatana na cara...
Claro que a distância deve ser mantida mas sem cair em exageros de ficar demasiado afastada...
Claro que sendo uma pessoa distraída não deve deixar-se absorver só pelos corais nem pelos bicharocos "rastejantes" que andam nas rochas...
Claro que quando vê o primeiro peixe, ao fundo do oceano a vir na sua direcção, não deve começar a esbracejar em pânico e a gritar, "tubarão, tubarão" principalmente quando tem um tubo na boca...e não se percebe nada
Claro que depois não deve nadar desorientada e agarrar-se ao primeiro nadador do grupo que encontra e tentar arrastá-lo dali para fora tirando-lhe acidentalmente o seu tubo de respiração e puxando-o pelos óculos...
Claro que tem que ter em consideração que a água aumenta o tamanho e que o tubarão que viu não passava de um carapau!
Claro que depois de tanto disparate submarino não deve estranhar que o resto do grupo a olhe de lado e o nadador que antes tentou salvar dos dentes do tubarão não lhe fale!

Há uma primeira vez para tudo e é sempre tão saborosa...ou devia ser...afinal...são momentos únicos!

Relax

video

Aiiiii como eu precisava de uma boa esfregadela...como esta!

Les adventures de Tintin!


-Milu Milu!
- Ão, Ão!
-Tu veux du vin?
- Ão, Ão!

Audacidade precisa-se!


Entre os comentários do post anterior e algumas conversas que tenho tido esta semana resolvi deixar aqui alguns traços de pensamento pouco profundo mas sob a minha perpectiva mais aprofundada.


É verdade que as mulheres querem o reconhecimento de que desempenham tarefas tão bem como os homens e com esse reconhecimento há uma busca pela igualdade e pela tentativa de anulação do machismo. Mas tal como os homens que ainda hoje são educados para não mostrarem demasiada sensibilidade as mulheres são educadas de que existe pelo menos um homem que poderá ser um principe encantado.


Nota-se cada vez mais (ou então sou eu que reparo mais) que os homens não tomam iniciativas no campo amoroso. Os homens esperam que a mulher dê o primeiro passo. Ficam indecisos se devem meter a mão, se agarram e pespegam um beijo, se dizem ou não um piropo. Têm medo de ser rejeitados e no fundo tem medo de levar um estaladão na cara. A meu ver...ninguém dá um estaladão a outrem se os "aventureiros" souberem, por exemplo, que quando dão um beijo não têm que partir a denturadura da pessoa beijada.


As mulheres também são rejeitadas constantemente e partem sempre para a próxima receosas mas, na falta da virilidade do macho em avançar, avançam sempre de olhos fechados.


Só que chega às tantas satura ver que os homens são indecisos, timidos, não sabem como fazer elogios a quem lhes faz correr a adrenalina no corpo e depois sou eu que tenho que inventar frases para as gajas...sou eu que lhes faço a "corte" com as minhas palavras e quiçá sou eu que qualquer dia tenho que lhes passar as mãos...ai aia iaia!


Precisamos de homens mais audazes!


Nota: Ponham os olhos no Robin Wood que não tinha vergonha de usar colans de Lycra e cujas "qualidades" eram assim muito melhor apreciadas!

Domingos...


Hoje queria deixar aqui um texto com algum significado. Talvez ainda consiga fazer um texto que sem dizer nada digo tudo para aqueles que de alguma forma se possam sentir definidos por ele...mas mais tarde, logo mais. Agora estou com a cabeça feita em água e os textos não fluem como eu quero por isso nem vale a pena estampá-los aqui.

De toda a maneira e apesar da cabeça estar ainda a convalescer, deste domingo, estou agora tranquila. Há frases que precisam ser ditas e lidas, há conversas que a medo são feitas mas que são boas de ter, há músicas que se trocam e que se ouvem. Há sempre gente disposta a "ouvir" as nossas idiotices e sempre com um conselho na ponta do dedo! Estes são interiorizados e tranquilizam-nos quando o fazemos!

E de uma tarde que se adivinhava chata a reviravolta foi tal que ficou completa com o abraço em busca de carinho...do gajix :D

No one - Alicia Keys



Gosto da batida...e da pancada na voz!

Camaradagem


Geralmente quando vou no comboio embrenho-me na leitura de um livro. Por vezes leio livro atrás de livro e vejo-me forçada a fazer uma paragem de vez em quando para descansar não só a vista como das histórias. Nesses dias, em que faço a paragem, observo as pessoas que viajam ao meu lado. A maioria vai a dormitar outras tal como eu leiem e há outras que ou vêem filmes ou jogam nos portateis.

Mas a resistir a esta gente enfadonha (na qual me incluo) há um grupo de quatro amigos que se juntam e numa mesa improvisada, com uma mala, jogam cartas. Como é óbvio destacam-se de todos os outros porque fazem mais alarido (embora sejam um alarido salutar) e algumas das outras pessoas acompanham o jogo. Eu sento-me sempre a uma certa distância mas por vezes consigo observá-los.


O que vos quero contar é o seguinte:

São quatro pessoas que jogam à "sueca". Têm idades compreendidas entre os 45 e os 50 anos. Tratam-se todos com uma camaradagem bonita de se ver. Sorriem e não largam insultos quando uma ou outra pessoa perde ou ganha. Uma dessas pessoas é especialmente alegre e talvez seja por sua causa que não há um ambiente mais pesado no jogo. Não é só pela sua alegria mas também pela sua "condição"...é mulher. É mulher e só se o nota pelos seios que se percebem debaixo das t-shirts largueironas que sempre usa porque em tudo o resto é um ser masculino. Todos os seus movimentos...desde pôr os óculos na cabeça para ver melhor o baralho, desde levantar-se para ajeitar as calças, desde o modo como larga as palavras, desdo o molhar a ponta dos dedos na lingua para "dar cartas"...são masculinos. Não há nada que diga que aquela pessoa é uma mulher a não ser a fisionomia peitoral! Mas é ela, na minha opinião, a alma daquele jogo. E nota-se perfeitamente que ela é "one of the guys" porque eles tratam-na como igual, até nas boquinhas que costumam mandar uns aos outros eles não a deixam de a envolver.

Gosto de observá-los de vez em quando. É bonita a sua camaradagem!

o nó...



Sensibilidade masculina...

Zé Tó é um homem de todas as mulheres e de mulher nenhuma. Um dia, depois de um orgasmo, olhou bem fundo nos olhos da Conceição e emocionado perguntou: Queres dar o nó? Ela, com os olhos molhados e sorriso parvo, acenou feliz que sim. Então Zé Tó tirou o preservativo usado e passou-o para a mão da Conceição...e disse...ata-o.

Café






Um bebedolas entra num bar e pede ao balcão três cafés.

- Três cafés? - pergunta, atónito, o empregado.

- Sim, um para mim, outro para ti e outro prá puta da tua mãe.

No dia seguinte, o mesmo bebedolas repete o mesmo pedido, no mesmo café e ao mesmo empregado:

-Três cafés...

-Três?...

-Sim .. TRÊS ... um para mim, outro para ti e outro prá puta da tua mãe.

Desta vez o empregado "passou-se", saiu do balcão, agarrou no bebedolas e deu-lhe uma sova e peras!

No dia seguinte, todo entrapado, o bebedolas vai na mesma ao café, dirige-se ao balcão e o empregado com um sorrisinho cínico pergunta-lhe:-Então, três cafèzinhos, não é verdade?....

-Não. - Responde o bebedolas -Só dois: um para mim e outro prá puta da tua mãe! Pra ti não, porque o café "altera-te" o sistema nervoso...

Tranquilidade!


Pensamento muito profundo que acabo de ter:


Um risco ao meio nem sempre é sinal de démodé!


Ás vezes até fica bem...é preciso é...tranquilidade e fazê-lo no sitio certo...que nem sempre é...na cabeça.


eheheheheheheheheheheheheheheeheh

Dizem ...

...que há sempre uma saída...vejam esta publicidade de um GPS

video

Tautologia

Se me perguntassem assim de chapalhuz o que era a tautologia eu diria que era a ciência que estuda a arte de dar tau -tau!!!!
Mas não! Não é! Deixo aqui a explicação do que é e que recebi por email!

Sabe o que é tautologia?
É o termo usado para definir um dos vícios de linguagem. Consiste na repetição de uma ideia, de maneira viciada, com palavras diferentes, mas com o mesmo sentido.

O exemplo clássico é o famoso 'subir para cima' ou o 'descer para baixo'. Mas há outros, como poderá ver na lista a seguir:

- elo de ligação
- acabamento final
- certeza absoluta
- quantia exata
- nos dias 8, 9 e 10, inclusive
- juntamente com
- expressamente proibido
- em duas metades iguais
- sintomas indicativos
- há anos atrás
- vereador da cidade
- outra alternativa
- detalhes minuciosos
- a razão é porque
- anexo junto à carta
- de sua livre escolha
- superavit positivo
- todos foram unânimes
- conviver junto
- facto real
- encarar de frente
- multidão de pessoas
- amanhecer o dia
- criação nova
- retornar de novo
- empréstimo temporário
- surpresa inesperada
- escolha opcional
- planear antecipadamente
- abertura inaugural
- continua a permanecer
- a última versão definitiva
- possivelmente poderá ocorrer
- comparecer em pessoa
- gritar bem alto
- propriedade característica
- demasiadamente excessivo
- a seu critério pessoal
- exceder em muito .

Note que todas essas repetições são dispensáveis. Por exemplo, 'surpresa inesperada'. Existe alguma surpresa esperada? É óbvio que não. Devemos evitar o uso das repetições desnecessárias. Fique atento às expressões que utiliza no seu dia-a-dia. Verifique se não está a cair nesta armadilha.
Quanto a mim, ou seja, eu pessoalmente (LOL) uso algumas dessas expressões, para dar ênfase a algumas coisas que digo por isso...é armadilhas a toro e a direto. ehehehehe

Preparada?


(continuação - Parte II )

...fugirei e procurarei outros como eu… para reconstruir tudo aquilo que a revolta provocou.

Lá fora a multidão ansiava o combate e o seu mortífero respirar conseguia eu mesma aqui escutar. Entretanto fez-se silêncio, uma voz estranhamente familiar lançava frases de ordem exaltando a revolta e os feitos até aqui alcançados. Não era muito perceptível o seu discurso, mas era notório pelo silêncio seguido de cada rejubilar que toda aquela plateia admirava tal pessoa.

Alheei-me totalmente do que me rodeava, esqueci que sabia escutar e imitei-me a sentir por dentro toda a minha raiva e força… seria isso que iria alimentar as minhas vitórias na arena. Neste momento, iria finalmente dar uso às minhas capacidade físicas e estratégicas… a luta, a guerra, sempre foram o meu forte… mas a minha condição de mulher nunca permitiu que pudesse dirigir o meu próprio exército.

Estava preparada… voltei-me novamente para o exterior e só desejava que chamassem quanto antes. Batem à porta… toda a minha confiança inabalável ruiu enquanto escutava aquelas mãos batendo à porta… o som que da porta vinha foi de tal modo intenso que mais parecia que tinham batido directamente no meu coração… enregelei… durante segundos meu sangue congelou… deixei de respirar e de me sentir…e sem que uma palavra saísse sequer da minha boca, logo a porta se abriu…

Surpresa das surpresas, como que chegado ao fim de um túnel escuro que apenas um candeeiro lateral ajudava apenas a ver os contornos de um rosto… um rosto que ganhou voz… que se aproximou e mais visível se tornou, um rosto com uma sonoridade familiar… uma voz com uma imagem presente… um rosto…O rosto de Apolónio!

Apolónio era uma alta patente do exército de Limpia e em tempos foi um grande rival meu aquando dos estudos na Academia das Artes Militares. Sempre tive um enorme respeito e admiração pelas suas capacidades de liderança… era um homem sem passado, vindo de uma família reconhecida no nosso reino, mas que vivia inteiramente para a causa militar. Recordo que em tempos, teve uma discussão com um dos Generais e não mais evoluiu na carreira militar.

Chega-se a mim e friamente, sem pestanejar sequer, me diz:

- “Menina Lana, espero que esteja preparada para enfrentar o medo de frente…”

Eu no silêncio fiquei, acho que minha voz era agora moldada por palavras escritas por mudas mãos… pálidas de vida… mas ele acrescentou algo mais:

- “Tome! Eu próprio escolhi.”

Era uma faca enorme… com uma lâmina super afiada… brilhante… parecia transbordar calor, mas que não seria humano, duvidava até que alguma vez aquela faca tivesse ferido alguém.

Eu, sem uma única palavra dizer, ainda estava sobre o efeito da surpresa enorme de rever Apolónio. Ele continuava frio comigo, como se não me conhecesse… glaciar… que contagiava tudo o que tocava… aquela faca era a prova evidente disso mesmo.

Voltado para mim, olhou bem fundo nos olhos e perguntou:

- “Preparada?!”

- “SIM!”, respondi eu de pronto.

Finalmente saíra de mim um som. Não sei de que forma falei mas consegui provocar em Apólito uma reacção física… vi nos seus olhos negros um clarão do tamanho da força do meu “SIM”. Dirigi-me então pelo escuro túnel, enquanto isso, seguia as largas e fortes costas de Apólito, bebendo naquele tronco um pouco mais de força... e mais força ainda ia buscar ao som da multidão.

Eis o circulo (que seria meu)… olhei para a multidão apinhada, movimentada… todos gritavam e olhavam-me com uns olhos repletos de uma voraz sede de sangue… não mais olharia para aqueles seres sujos, imundos… seguia agora de cabeça baixa, olhando unicamente para aquela faca que tornava o meu braço um verdadeiro punhal, pronto e desejoso de fazer estragos.

Entrei no circulo e aguardei a chegada das adversárias…

(continua na Parte III)

Nota: Este texto é exclusivamente do Filipe em resposta ao desafio.

O outro sentido de "mas"


Como já referi num post anterior tenho uma grande língua...não só literalmente mas, acrescento agora, também no sentido enfático da coisa!

Por vezes a falta de controlo da língua arrasta-me para situações um pouco embaraçosas que só me deixam mal vista. Foi o que me aconteceu na minha última aula de inglês!

Estávamos em círculo a fazer um exercício oral e o professor pergunta se alguém conhecia o outro significado para a palavra "BUT"...fez-se silêncio na sala e só se ouviu a minha delicada vozinha responder: yessssss!
Por falta de sorte o professor estava sentado logo ali, ao meu lado esquerdo, mesmo encostadinho a mim. E perguntou-me: Wicht is...?
E eu a julgar-me realmente muito inteligente respondi, toda contente, com uma definição: Ass!
Ele enrugou as sobrancelhas e perguntou: What?
E esta menina não se lembra de mais nada senão armar-se em mimo falante e dar uma boa palmada no próprio rabo, para exemplificar, e dizer em bom som: My BUT!
O professor explodiu num riso e nunca mais se calava. Eu "aflita" ainda lhe perguntei: Isn't it?
e ele responde ainda numa risota: Your "But" takes double "T"!

E eu fiquei ali, sozinha, cheia de calor, com as bochechas a latejarem e a pensar de onde raio me saiu aquela? Porque não me calei...era óbvio que o BUTT Não podia ser o BUT senão toda a gente...
Pfffff...que falta de tento na língua!!!!

Alguns dos meus colegas foram bem simpáticos comigo quando saímos da sala...alguns deram-me uma palmadinha nas costas: Então BUTT hã? com exemplificação e tudo!

Arranjei uma boa mnemónica para a turma. Porque agora toda a gente sabe que o outro significado de BUT diz respeito à terceira condicional. Eu, pelo menos, nunca mais me esquecerei disso não tenho a menor dúvida!

De régia a escrava!

(Parte I)

Meu nome é Lana. Cresci em Limpia. A minha família sempre foi abastada desde que me conheço. Segundo a minha mãe, desde há 7 gerações que jamais tivemos problemas financeiras. Eu cresci com tudo o que uma rapariga pode desejar, em termos materiais. Estudei dança, esgrima, combate corpo a corpo, equitação, dicção, estratégia além de todas as aulas ligadas às ciências humanas e sociais. Nunca me relacionei com gente de condição menor que a 5ª. Em Limpia a sociedade divide-se em 7 classes sociais: 1- Escravos, que fazem todo o trabalho que mais ninguém quer fazer, desde tratar dos estufos de plantação até aos trabalhos domésticos mais básicos; 2- Serviçais, são todos aqueles que controlam os escravos e fazem trabalhos como motoristas, chefes de cozinha entre outros; 3- Soldados; 4- Profissionais intermédios, como professores, advogados, contabilistas, directores e soldados de patente intermédia; 5- Soldados de alta patente, Médicos, Conselheiros; 6- os 8 presidentes; 7 - Os Régios. Há ainda aqueles a que eu chamo classe zero, uma vez que não existem! São os rebeldes, os sem abrigo, os sublevados e renegados!
Existem 3 famílias de classe 7 da qual a minha família faz parte. Somos os Régios e detemos o dinheiro e o poder de decisão final em várias matérias que regulem o estado.

Sensivelmente desde à dois anos sentia-se nos níveis mais elevados um certo rumor e com este a inquietação de que uma revolta de alguns dos escravos podia rebentar a qualquer momento. Nestes últimos dias a situação tornou-se real.
Escravos que tinham sido dado como desaparecidos, com a cumplicidade daqueles que cá trabalhavam, invadiram a minha casa e o pai foi morto, a mãe está em parte incerta com os meus 3 irmãos mais novos e eu fui raptada e fizeram-me escrava! As outras famílias Régias também tiveram problemas mas parece-me que conseguiram fugir a tempo. Só o meu pai que não acreditou nos rumores deixou-se ficar para trás. Felizmente a mãe tinha saído com os meus irmãos para uma visita a outro estado e julgo que conseguiu evitar ser apanhada. Ainda não tenho a certeza do que aconteceu porque me chegam noticias dispersas e contraditórias!


A minha condição física levou-me a ser seleccionada para combater no circulo. Neste momento, estou à espera para entrar, ouço a multidão que faz um barulho quase infernal e está ao rubro para que se dê inicio aos combates. Sei que terei de sobreviver a 2 guerreiras durante 10 minutos de combate com espada e ombraleira. Se o conseguir provavelmente serei escrava de entretenimento em combates. Vou conseguir sobreviver mas jamais serei escrava...fugirei e procurarei outros como eu!